Inteligência Socioemocional: A Importância da Felicidade

No dia 20 de março de 2013, o então primeiro secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, deixou a seguinte mensagem: “Neste primeiro Dia Internacional da Felicidade, vamos reforçar nosso compromisso com o desenvolvimento humano inclusivo e sustentável e de ajudar os outros. Quando contribuímos para o bem comum, enriquecemo-nos a nós próprios. A compaixão promove a felicidade e ajudará a construir o futuro que queremos.”

Foi a primeira vez que a ONU comemorou e incentivou os países a reconhecerem a importância de criar políticas públicas que promovam a Felicidade. A inspiração, que a Organização teve em criar um dia para falar, pensar e comemorar essa emoção, surgiu em abril de 2012, em um país asiático chamado Butão.

A Felicidade tem diferentes significados para as pessoas, portanto a ONU incentiva que cada nação busque trazer para a sua população medições próprias, avaliando as condições de dignidade humana para que todos possam buscar a felicidade e garantir a do próximo.

A Escola da Inteligência, enfatizando a importância que a felicidade tem nas emoções humanas, propôs que a temática fosse trabalhada dentro da disciplina: Inteligência Socioemocional.

Sendo assim, no Colégio Arquidiocesano, na semana do dia 20 de março, os(as) professores(as) abordaram o tema Felicidade, por meio de discussões, reflexões, criação de vídeos, teatros, músicas, oficinas e trabalhos artísticos. Os(as) alunos(as) tiveram, também, a oportunidade de expressar o sentimento através da Oficina Educativa, ministrada pelos Funcionários do Museu Casa Guignard, e da Roda de Conversa feita pelo Edvaldo e pela Wanusa, integrantes da Paróquia de Cristo Rei.