Unidade Ouro Preto

O Colégio Arquidiocesano de Ouro Preto foi fundado na cidade de Mariana, Minas Gerais, por Dom Helvécio Gomes de Oliveira, no ano de 1927, funcionando no antigo Palácio dos Bispos, tendo como Diretores de 1927 a 1930, Monsenhor Manuel Nogueira e de 1931 a 1932, Monsenhor Raimundo Otávio Trindade.

Tendo encontrado grande colaboração em Ouro Preto, o Exmo. Sr. Arcebispo Dom Helvécio Gomes de Oliveira iniciou a construção de prédio próprio, à Rua Alvarenga, no Bairro Cabeças, onde, a 20 de maio de 1933, foi instalado oficialmente o Colégio Arquidiocesano, conforme registro no Cartório Civil de Pessoas Jurídicas do Município, sob o nº 03 (três), com a finalidade de ministrar ensino em caráter particular, em cursos e modalidades previstas na Legislação Brasileira. Em 1934, foi instituída a Sociedade Liceu Ouro Preto, como mantenedora do Colégio Arquidiocesano, iniciando suas atividades definitivas, sob a direção do Pe. José da Silveira Lobo, que permaneceu no cargo até o ano de 1942.

O Colégio funcionou em regime de externato para rapazes e moças e, em regime de internato, apenas para rapazes, este último encerrado no ano de 1970, devido a ausência de candidatos.

Também foram diretores do Colégio Arquidiocesano os seguintes sacerdotes:

  • Pe. Osvaldo Torga – de 1943 a 1944
  • Pe. Emílio Veiga – de 1944 a 1947
  • Côn.º  José da Rocha Filgueiras – de 1947 a 1979
  • Pe. Carmélio Augusto Teixeira – 1981 a 1988
  • Côn.º José Feliciano da Costa Simões – de março a outubro de 1988
  • Côn.º Paulo Dilascio – de 1989 a 2010
  • Côn.º Tarcísio Sebastião Moreira – de 2010 a 2014

No período de 1979 a 1981, em razão de enfermidade do Cônego José da Rocha Filgueiras, assumiu a direção do Colégio, do Sr. Arcebispo Dom Oscar de Oliveira, o Prof. Hélio Homem de Faria, que em 1980 criou o Pré-Escolar (hoje Educação Infantil) e o Primário (hoje Ensino Fundamental – Anos Iniciais).

Ocuparam também o cargo de diretor o Prof. Péricles Lobo Leite (de 1986 a 1987),  o Prof. José Benedicto Neves (de 1988 a 1989), devido à enfermidade do Pe. Carmélio Augusto Teixeira e a Profa. Rita Maria Moraes Cota (de maio a julho de 2010), por motivo do falecimento do Cônego Paulo Dilascio, nomeado desde 1989, pelo então Arcebispo, Dom Luciano Mendes de Almeida.

No dia dezoito de outubro de 1938, foi fundado, no Colégio Arquidiocesano, o Grêmio Literário “Tristão de Ataíde”, pelo Pe. José Pedro Mendes Barros, Professor de Português, tendo ali funcionado até o ano de 1957.

Em 1975, o Colégio Arquidiocesano recebeu, da SEE, a autorização para o funcionamento do curso de habilitação profissional: Desenhista Mecânico.

 Em 1986, através de Convênio com a Prefeitura Municipal de Ouro Preto, foi criado o Curso Técnico em Agropecuária, aprovado pelo CEE no ano de 1990, extinto em 1993, pelo Prefeito Municipal de Ouro Preto, nos termos do Convênio, através de Notificação Extra Judicial.

Em 1992, tendo recebido a doação de muitas quotas de acionistas da Sociedade Liceu Ouro Preto, num total de cento e quatorze e as vinte e cinco últimas, judicialmente, a Arquidiocese de Mariana convocou a Assembleia dos Acionistas, para a escolha de nova Diretoria, pois desde 1959 não se realizaram mais Assembleias. Nomeada e empossada esta Diretoria a 3 de setembro de 1992, o novo Presidente Cônego José Feliciano da Costa Simões, convocou, através de Edital no “Minas Gerais”, nova Assembleia, para a extinção da Sociedade Liceu Ouro Preto, o que aconteceu no dia 25 de setembro de 1992, quando então o Colégio Arquidiocesano passou a ter como Entidade Mantenedora Obras Sociais de Auxílio  à   Infância  e  à  Maternidade  Monsenhor  Horta,  da  Arquidiocese  de Mariana, entidade de utilidade pública federal, estadual, municipal, de fins filantrópicos, que tem como Foro a cidade de Mariana, sede do Arcebispado, conforme contrato social registrado no Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas da Comarca.

Data de 1998, o Convênio que o Colégio Arquidiocesano assinou com a Rede Pitágoras pela Qualidade em Educação, parceria de sucesso que permanece até os dias atuais, com programa de formação integrada, produtos de suporte pedagógico, programa de avaliação educacional, entre outros.

Também em 1998, a Samarco Mineração S. A. assumiu um Convênio de Comodato com a Mantenedora   Obras Sociais, ficando a mesma responsável pela Escola Particular Alphonsus de Guimaraens, na Vila Residencial Antônio Pereira, que passou a chamar-se Colégio Arquidiocesano – Unidade II que, em 2010, passou a denominar-se Colégio Arquidiocesano – Unidade Cônego Paulo Dilascio.

Em 1999, iniciaram-se as atividades dessa Unidade, atendendo do Maternal à 8ª série do Ensino Fundamental, iniciando-se o Ensino Médio em 2000.

A 23 de maio do ano de 2010, o Sr. Arcebispo Metropolitano de Mariana, Dom Geraldo Lyrio Rocha, nomeou o Pe. Tarcísio Sebastião Moreira, Diretor do Colégio Arquidiocesano – Unidade Ouro Preto e Unidade Cônego Paulo Dilascio., cargo este em que foi oficialmente empossado a 07 de julho do mesmo ano.

Em 23/11/2010, ocorreu a mudança de mantenedora, passando de Obras Sociais de Auxílio à Infância e à Maternidade Monsenhor Horta para Fundação Marianense de Educação.

Na data de 22 de dezembro de 2014, Dom Geraldo Lyrio Rocha nomeou o Revmo Pe. Paulo Vicente Ribeiro Nobre, Diretor do Colégio Arquidiocesano- Unidade Ouro Preto e Unidade Cônego Paulo Dilascio, sendo oficialmente empossado a 30 de janeiro de 2015.

A proposta educativa praticada no Colégio Arquidiocesano de Ouro Preto, que atende desde o Maternal ao Ensino Médio,   pauta-se em, constantemente, cumprir tudo aquilo que propicie alcançar os fins da Educação Nacional e atingir os objetivos gerais do ensino, proporcionando aos educandos a formação necessária ao desenvolvimento de potencialidades e ao pleno exercício da cidadania.

Congregados aos Propósitos Cristãos e à Proposta Educativa desta Instituição todos que a ela se vinculam amparam-se no lema:  “Deo Duce Coadjuvante Domina e Colle Illuminans.”  (Conduzido por Deus, Nossa Senhora ajudando, iluminando do alto da colina.)